Sinergismo Tenepes–Projetabilidade Lúcida

  • Tertúlia 2879
  • Data: domingo, 22 de dezembro 2013
  • Especialidade: Projeciologia
  • Tema central: Homeostático
  • Verbetógrafo: Ione Silva

O sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida é o efeito potencializador gerado pela ação associada da tarefa energética pessoal com a projeção lúcida da consciência para fora do corpo físico, promovendo a parapercepção da realidade interassistencial da atuação conjunta, consciente e eficaz, da conscin lúcida com o amparador extrafísico de função.

Você, leitor ou leitora, utiliza técnicas para se projetar com lucidez?

      SINERGISMO            TENEPES–PROJETABILIDADE                      LÚCIDA
                                      (PROJECIOLOGIA)


                                           I. Conformática

          Definologia. O sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida é o efeito potencializador gerado pela ação associada da tarefa energética pessoal com a projeção lúcida da consciência para fora do corpo físico, promovendo a parapercepção da realidade interassistencial da atuação conjunta, consciente e eficaz, da conscin lúcida com o amparador extrafísico de função.
          Tematologia. Tema central homeostático.
          Etimologia. O termo sinergismo vem do idioma Francês, synergisme, de synergie, “ação coordenada de vários órgãos”, e este do idioma Grego, synergía, “cooperação; ajuda”. Surgiu no Século XX. A palavra tarefa provém do idioma Árabe, tarîha, “quantidade de trabalho que se impõe a alguém”, derivada de tarah, “lançar; arrojar; impor a aquisição de alguma mercadoria a determinado preço”. Apareceu no Século XVI. O vocábulo energético procede do idioma Grego, energêtikós, “ativo; eficaz”. Surgiu no Século XX. O termo pessoal deriva do idioma Latim, personalis, “pessoal”. Apareceu no Século XIII. A palavra projeção é proveniente do idioma Latim, projectio, “jato para diante; lanço; esguicho de água; ação de alongar, de estender; alongamento; prolongamento; construção em projetura”, de projicere, “lançar para diante”. Surgiu no Século XVIII. O vocábulo lúcido é oriundo igualmente do idioma Latim, lucidus, “luminoso; luzente; radioso; nítido; claro; evidente; manifesto”. Apareceu no Século XVI.
          Sinonimologia: 1. Sinergismo tenepes–projeção consciente assistencial. 2. Sinergismo tenepes–projeção consciente. 3. Sinergismo tenepes–projeção assistida. 4. Potencialização interassistência tenepessista–projetabilidade.
          Neologia. As duas expressões compostas sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida restrito e sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida ampliado são neologismos técnicos da Projeciologia.
          Antonimologia: 1. Projeção inconsciente na tenepes. 2. Ausência de parapercepção na tenepes. 3. Anulação entre as técnicas projetivas e assistenciais. 4. Incompatibilidade tenepes-projeção. 5. Antagonismo tenepes / projetabilidade. 6. Adormecimento na tenepes. 7. Devaneio na tenepes.
          Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscernimento quanto às aplicações interassistenciais das técnicas projetivas.


                                             II. Fatuística

          Pensenologia: o holopensene pessoal da interassistencialidade; o holopensene pessoal da projetabilidade lúcida; o holopensene pessoal da paraperceptibilidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; os ortopensenes; a ortopensenidade; os parapensenes; a parapensenidade.
          Fatologia: a autorganização visando a projetabilidade lúcida; a evitação da euforin; a superação dos medos; os sons intracranianos da saída do psicossoma; a interiorização da consciência projetada frequentemente através dos plantochacras; a recoincidência dos veículos de manifestação; os registros projetivos; as confirmações posteriores da assistência prestada.
          Parafatologia: a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; as mobilizações de energias prévias; a saída do psicossoma lateral ou frontalmente; a soltura holossomática; os desconfortos oriundos da ectoplasmia; o circuito coronofrontochacral; a abertura da clarividência pela atenção focada; a aura projetiva; a ampliação da descoincidência dos veículos na vivência da projetabilidade lúcida; os encontros projetivos; as projeções assistidas; as doações energéticas extrafísicas; as ectoplasmias extrafísicas; os parassopros energizados; as projeções desassediadoras; os resgates extrafísicos; os esclarecimentos extrafísicos diretos às consciexes e conscins projetadas; as transfigurações extrafísicas; a acalmia das consciências; o posicionamento lúcido na condição de integrante da equipex; o arco voltaico feito extrafisicamente; as exteriorizações em círculo pelas paramãos em sentido horário; as volitações extrafísicas; a Parapedagogia; as paraglomerações extrafísicas; as consciências extrafísicas erráticas; as paraincursões à Baratrosfera; as paravisitas às comunexes; as aplicações longitudinais de energia no psicossoma dos assistidos; as para-higienizações dos ambientes extrafísicos adstritos às bases físicas; as assistências pré-ressoma; a atuação prévia no trabalho interassistencial extrafísico; as abordagens extrafísicas; a parabordagem camuflada da condição de assistente; o reforço energético pela utilização do fitoectoplasma; as assistências à primeira e segunda dessoma; as reurbanizações extrafísicas.


                                           III. Detalhismo

          Sinergismologia: o sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida; o sinergismo trabalho bioenergético–projeção consciente; o sinergismo autassistência-heterassistência; o sinergismo parapsiquismo-assistencialidade; o sinergismo conscin sensitiva–consciex amparadora.
          Principiologia: o princípio de o menos doente ajudar o mais doente; o princípio da grupalidade interassistencial; o princípio da inseparabilidade grupocármica; o princípio da vontade decidida superando as limitações pessoais.
          Codigologia: o código pessoal de Cosmoética (CPC); o código grupal de Cosmoética (CGC).
          Teoriologia: a teoria da projetabilidade lúcida interassistencial; a teática da tenepes; a teoria das reurbexes.
          Tecnologia: a técnica da tenepes; a aplicação de técnicas projetivas; a técnica da projeção lúcida; a técnica da respiração rítmica associada à respiração energossomática; a técnica do circuito corono-frontochacral; a técnica do balanço do psicossoma; a técnica dos comandos projetivos.
          Voluntariologia: o voluntariado conscienciológico; o voluntariado do grupo de pesquisas da tenepes; o paravoluntariado da equipe extrafísica assistencial.
          Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico da tenepes; o laboratório conscienciológico das técnicas projetivas; o laboratório conscienciológico da Despertologia.
          Colegiologia: o Colégio Invisível da Tenepessologia; o Colégio Invisível dos Projetores Conscientes; o Colégio Invisível da Assistenciologia.
          Efeitologia: o efeito assistencial da projeção lúcida; o efeito da compreensão da assistência vivenciada extrafisicamente; o efeito da interação lúcida com o amparador; o efeito da ampliação da comunicabilidade; o efeito desassediador da projeção consciente.
          Neossinapsologia: as neossinapses da autoconscientização multidimensional (AM); as neossinapses da interassistencialidade avançada.
          Ciclologia: o ciclo interassistencial tenepes–projetabilidade–eficácia assistencial; o ciclo lucidez–projeção–ação extrafísica.
          Binomiologia: o binômio projeção lúcida–qualificação assistencial; o binômio projetor tenepessista–cosmovisão; o binômio projeção consciente–cooperação com a equipex; o binômio voluntariado intrafísico–paravoluntariado extrafísico; o binômio cérebro-paracérebro.
          Interaciologia: a interação conscin tenepessista–consciex amparadora.
          Crescendologia: o crescendo acoplamentos–tenepes–projeção lúcida.
          Trinomiologia: o trinômio comunicabilidade-assistencialidade-projetabilidade.
          Polinomiologia: o polinômio intencionalidade–vontade decidida–soltura holossomática–projeção lúcida assistencial.
          Antagonismologia: o antagonismo projeção consciente / ausência de lucidez na tenepes.
          Paradoxologia: o paradoxo anonimato intrafísico–exposição extrafísica.
          Politicologia: a lucidocracia; a meritocracia; a projeciocracia; a assistenciocracia.
          Legislogia: a lei do maior esforço parapsíquico; as leis da Projeciologia; as leis da Assistenciologia.
          Filiologia: a projeciofilia; a assistenciofilia; a tenepessofilia; a parapsicofilia.
          Fobiologia: a tanatofobia; a projeciofobia; a parapsicofobia.
          Maniologia: a mania de devanear na tenepes.
          Mitologia: o mito de não poder se projetar durante a tenepes; o mito dos resultados sem esforços; o mito do salvacionismo.
          Holotecologia: a projecioteca; a interassistencioteca; a energoteca; a parafenomenoteca; a parapsicoteca; a comunicoteca; a convivioteca.
          Interdisciplinologia: a Projeciologia; a Parapercepciologia; a Energossomatologia; a Parafenomenologia; a Grupocarmologia; a Extrafisicologia; a Assistenciologia; a Tenepessologia; a Despertologia; a Comunicologia; a Autopesquisologia; a Discernimentologia; a Pesquisologia.


                                            IV. Perfilologia

          Elencologia: a conscin lúcida; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassistencial; o projetor lúcido.
          Masculinologia: o acoplamentista; o amparador intrafísico; o proexista; o intermissivista; o completista; o conscienciólogo; o consciencioterapeuta; o epicon lúcido; o evoluciente; o exemplarista; o tenepessista; o ofiexista; o parapercepciologista; o pesquisador; o projetor consciente; o voluntário; o tocador de obra; o homem de ação.
          Femininologia: a acoplamentista; a amparadora intrafísica; a proexista; a intermissivista; a completista; a consciencióloga; a consciencioterapeuta; a epicon lúcida; a evoluciente; a exemplarista; a tenepessista; a ofiexista; a parapercepciologista; a pesquisadora; a projetora consciente; a voluntária; a tocadora de obra; a mulher de ação.
          Hominologia: o Homo sapiens projectius; o Homo sapiens parapsychicus; o Homo sapiens tenepessista; o Homo sapiens assistentialis; o Homo sapiens interassistentialis; o Homo sapiens autolucidus; o Homo sapiens multidimensionalis.


                                          V. Argumentologia

          Exemplologia: sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida restrito = a projeção consciente no ambiente extrafísico coexistente com a base física da tenepes, qualificando a assistência; sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida ampliado = a projeção consciente em ambientes extrafísicos distantes potencializando a assistência.
          Culturologia: a cultura da projetabilidade lúcida; a cultura da interassistência.


                                             VI. Acabativa

          Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas centrais, evidenciando relação estreita com o sinergismo tenepes–projetabilidade lúcida, indicados para a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
          01. Abordagem extrafísica: Extrafisicologia; Neutro.
          02. Acolhimento assistencial extrafísico: Paraprofilaxiologia; Homeostático.
          03. Agente antiprojeção consciente: Projeciologia; Nosográfico.
          04. Consciência de equipe: Grupocarmologia; Neutro.
          05. Extra da tenepes: Tenepessologia; Homeostático.
          06. Hiperacuidade interassistencial: Interassistenciologia; Homeostático.
          07. Interassistenciologia: Conviviologia; Homeostático.
             08.   Lei da Projeciologia: Legislogia; Homeostático.
             09.   Minipeça interassistencial: Interassistenciologia; Homeostático.
             10.   Paracirurgia: Consciencioterapia; Neutro.
             11.   Projetor-auxiliar dessomaticista: Dessomatologia; Homeostático.
             12.   Psicosfera projetiva: Projeciologia; Neutro.
             13.   Registro tenepessista: Tenepessologia; Neutro.
             14.   Senso de fraternidade: Conviviologia; Homeostático.
             15.   Senso de parafiliação: Amparologia; Neutro.
  A PROJETABILIDADE LÚCIDA DESCORTINA OS BASTIDORES DA EXTRAFISICALIDADE. O TENEPESSISTA-PROJETOR É INTEGRANTE CONSCIENTE, ÚTIL E PARTICIPATIVO, ATUANDO NO MAXIMECANISMO INTERASSISTENCIAL.
             Questionologia. Você, leitor ou leitora, utiliza técnicas para se projetar com lucidez?
Quais proveitos interassistenciais tenepessistas obtém pela aplicação da vontade decidida?
             Bibliografia Específica:
             1. Vieira, Waldo; Manual da Tenepes: Tarefa Energética Pessoal; revisor Alexander Steiner; 142 p.; 34 caps.; 147 abrevs.; 1 E-mail; 52 enus.; 1 foto; 1 microbiografia; 1 tab.; 1 teste; glos. 282 termos; 5 refs.; alf.; 21 x 14 cm; br.; Instituto Internacional de Projeciologia; Rio de Janeiro, RJ; 1995; páginas 11 a 82.
             2. Idem; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; revisores Alexander Steiner; et al.; 1.248 p.; 18 seções; 525 caps.; 150 abrevs.; 16 E-mails; 1.156 enus.; 1 escala; 1 foto; 3 gráfs.; 42 ilus.; 1 microbiografia; 1 sinopse; 2 tabs.; 2 websites; glos. 300 termos; 2.041 refs.; alf.; geo.; ono.; 28 x 21 x 7 cm; enc.; 5a Ed. rev. e aum.; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 2002; páginas 425 a 777.
             3. Idem; Projeções da Consciência: Diário de Experiências Fora do Corpo Físico; revisor Alexander Steiner; 224 p.; 60 caps.; 60 cronologias; 1 E-mail; 5 enus.; 1 foto; 1 microbiografia; 1 questionário projetivo; glos. 24 termos; alf.; 21 x 14 cm; br.; 6ª Ed.; rev.; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 2002; páginas 19 a 208.


                                                                                                                       I. R. S.